domingo, 1 de maio de 2016

Meu novo projeto: Sair do "vermelho" em 100 dias

Já falei um pouco sobre como a crise financeira tem me afetado, mas agora cheguei num limite bastante sério. Foi quase um ano esperando que a coisa se ajeitasse e confesso, acreditei muito na sorte e esperei que algo milagroso acontecesse e, lógico, não aconteceu.
No ano passado, no primeiro semestre, minhas finanças estavam muito bem. Consegui manter uma reserva e fiz algumas pequenas reformas em casa. Em maio precisei trocar de carro, porque o meu estava com muitos problemas e eu acabei raspando minhas economias e ainda pegando uma grana emprestada com minha irmã. A partir daí várias coisas difíceis começaram a acontecer:

  • a crise fez reduzir minha renda, já que a quantidade de pacientes no consultório diminuiu em cerca de 20%, 
  • tive duas sérias intercorrências odontológicas, que custaram muito além daquilo que eu poderia gastar;
  • Precisei retornar com uma médica que já me acompanhou por anos. Sem entrar em detalhes, em algumas questões sérias de saúde, só dá pra contar com um profissional no qual confiamos, então... consulta cara+medicação cara!
  • Como foi o primeiro ano do meu pequeno na escola, os gastos aumentaram bastante e por mais que eu estivesse preparada, com toda a situação acima, ficou difícil manter as coisas.
Então, no início do ano meu orçamento estava tranquilo, as contas estavam sendo pagas, consegui acertar algumas pendências e até reformar o quarto do meu filhote e aí, de repente, tudo ficou mais difícil, não só pelos gastos extras e as emergências, mas principalmente por eu não ter mais minha reserva e ainda perder renda. Nos primeiros meses eu fiz uma previsão de que até o final do ano eu conseguiria acertar todas as pendências e ainda juntar parte do dinheiro para pagar minha irmã. Não deu! As contas fixas aumentaram consideravelmente e eu não consegui fazer grandes cortes, as coisas foram se enrolando, precisei de um empréstimo e depois outro... por fim "me enrolei" no cheque especial!
Hoje estou bastante angustiada, mas preciso de uma solução rápida e definitiva. Portanto fiz um planejamento de guerra e pretendo cumpri-lo em 100 dias.

Projeto: 
Inicio: 25 de abril. Término: 03 de agosto.
Primeira etapa:
  • Fiz um estudo de todo meu orçamento do ano passado e do primeiro trimestre e identifiquei onde preciso fazer cortes e ajustes.
  • Consegui um empréstimo com uma amiga, que cobre o cheque especial e mais algumas despesas do mês. Essa grana virá em maio e ainda preciso definir direito como usá-la.
  • Fui a um dos meus bancos, que tem as menores taxas de juros e solicitei um cartão de crédito e um empréstimo pessoal para quitar as dívidas com o outro banco, podendo assim, fechar a outra conta. Acredito que centralizando tudo em uma única conta ficará mais fácil administrar. O cartão de crédito servirá para centralizar alguns pagamentos. Estou aguardando resposta quanto ao empréstimo, mas independente disso, unificar as contas já me deixou tranquila.
Segunda etapa: Ajustes necessários:
  • Os meus maiores gargalos são: o pagamento de juros (cerca de 5% da minha renda em abril) e o pagamento dos empréstimos (cerca de 15% da renda). Acertando o cheque especial estes 5% servirão para abater prestações dos empréstimos. Para se ter uma ideia, o valor que paguei de juros do cheque especial neste mês, daria para pagar e prestações de um dos empréstimos, podendo quita-lo já em maio. A partir de maio então, teria uma sobra ainda maior, podendo quitar outras parcelas de empréstimo (se tudo correr bem, até outubro eu conseguiria pagar a maior parte deles e em mais uns 6 meses, eu quitaria tudo, o que só aconteceria em dezembro/17)
  • Para que as sobras advindas dos juros e dos empréstimos possam ser usadas para quitar os próprios empréstimos, eu preciso diminuir outros gastos: em março e abril, reduzi significativamente os gastos com roupas, lazer e coisas para casa. Pretendo reduzir gastos com celular e internet, ainda neste mês;
  • Estou estudando uma forma de reduzir gastos no supermercado
  • Maio a junho: gastar o mínimo com saídas e compras de roupas e calçados.
É isso aí, mais um momento e oportunidade de dar a volta por cima!
Estou bastante otimista!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário