segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

Uma rotina mais leve não significa que não temos rotina

Lidar com mudanças muito significativas na rotina, ao mesmo tempo em que fez melhorar minha qualidade de vida, aumentou minha ansiedade.
Eu trabalho desde os 15 anos de idade (ufa 30 anos!). No início era um trabalho de meio período, mas em pouco tempo passei a trabalhar integralmente, 8 horas por dia. Foi assim enquanto eu era adolescente, estudava a noite e morava com minha família. Continuou assim depois que casei, aos 26 anos e ficou mais cansativo quando, além de casada, voltei pra faculdade. Confesso que foram momentos bem difíceis, mas consegui administrar simplesmente deixando a vida me levar. É tudo bem menos complicado quando não se tem nem 30 anos!
Pulando parte da história, em que essa rotina de trabalho com horário fixo, tomando todo o meu dia, sem qualquer flexibilidade, se manteve, venho para os tempos atuais. Hoje trabalho em um ritmo muito menos insano, não preciso acordar tão cedo e aquela preocupação horrível com o horário já nas primeiras horas do dia, deixou de existir. Eu já não vivo a sensação de estar eternamente atrasada, minha qualidade de sono melhorou bastante e raramente preciso utilizar o horário de almoço para resolver pendências que não conseguiria depois do expediente.
Porém o que parece uma tranquilidade absurda tem me sufocado e me causado muito estresse.
O que está acontecendo então?
Todo mundo sabe que quanto mais tempo se tem, maior é a possibilidade de procrastinar. Outra coisa é lidar com uma rotina bem mais flexível, o que acarreta uma maior necessidade de estar atenta para não me desorganizar.
Trabalho com agenda e tenho algumas lacunas diariamente que ainda não aprendi a preencher de maneira produtiva. É claro que aproveito muito desse tempo para resolver problemas pessoais, como pagar contas, agendar médicos, tratar com fornecedores de serviços de internet, celular, gás etc.
Acho que na verdade ainda não sei lidar com essa liberdade, com o tempo livre que jamais tive e com a administração do meu próprio tempo. Muitas vezes, quando tenho um horário livre no consultório fico paralizada, sem fazer nada, simplesmente porque estou cansada e não quero tomar qualquer decisão naquele momento.
Ando bem cansada, é fato, mas é fato também que não estou otimizando meu tempo,
Preciso me organizar para voltar a estudar e como neste semestre as contas estão difíceis, preciso estudar por conta própria mesmo.
Preciso definir uma rotina para organizar as coisas do próprio consultório, como anotações e finanças. Essas atividades precisam fazer parte da rotina e assim, o tempo que parecia livre, será dividido entre as várias tarefas necessárias. É lógico que preciso pensar no descanso, mas de que adianta em gastar 2 horas de um dia descansando, se no final das contas eu deixar de fazer coisas importantes.
Preciso administrar melhor meu tempo no trabalho, da mesma maneira que venho pensando na rotina de casa.
Quando se é autônomo um erro comum é misturar o que é vida pessoal e vida profissional.
É isso, preciso cuidar mais do meu trabalho e de tudo o que tem haver com ele.
Vou fazer algumas alterações no correr das próximas semanas,

sábado, 13 de fevereiro de 2016

Como tenho feito meus controles no plannner

Como já disse, montei um planner. Sabe o que é? É aquele caderno, todo frescurento, que virou febre na rede e que custa, digamos, uma verdadeira fortuna, em se tratando de, apenas, um caderno.
Sei que esses que custam entre 260 e 420 reais são fofos, lindos, com um papel bem legal, mas pé-ra-lá! custando mais de 400 paus, tinha que ser mais que lindo, né não?
Eu pesquisei em vários blogs e nas lojas virtuais que vendiam o danado e constatei que, mesmo que eu gastasse muito, conseguiria fazer um bem legal, com cerca de 1 décimo disso!
Fiz uma primeira versão em dezembro e foi bem divertido, apesar de ter ficado bonitinho, não ficou funcional, porque utilizei a base de um caderno e acabei colando algumas tabelas, o que tornou o trabalho meio grosseiro e o caderno ficou pesado.
Com meu lado obsessivo, ficava pensando em como poderia ter ficado com outra qualidade. Odeio coisa mal feita!!!
Enfim, dei uma aprimorada nas planilhas, no planner em si (aquele calendário mensal, quadriculado, com espaço para escrever os compromissos). Fui na papelaria universitária, que é simplesmente fantástica! Tem papéis de todos os tons e todas as gramaturas. Comprei um bom sulfite, com 120g e folhas coloridas para fazer as divisórias (isso tudo custou... 26 reais!). Depois comprei um papelão, tipo papel paraná, bem grossão e fiz a capa (ainda fiz a capa dupla), mais uns 3 reais. Imprimi em casa mesmo e como não manjo desses programas que fazem calendários e outras planilhas lindas, cheias de florzinha ou frutinha ou seja lá o que for, fiz algo bem básico, mas com a minha cara e muita funcionalidade. Mandei encadernar na papelaria e custou 5 reais.
Só falta agora decorar a capa, ainda preciso de um tecido bem lindo para encapar e fazer os acabamentos.
Enfim, meu planner custou, fora a tinta da impressora, 34 reais!
Para quem quiser se inspirar, fiz assim:
Coloquei uma divisória colorida para cada mês.
As primeiras folhas são:

  • Dados pessoais
  • Agenda de saúde
  • Metas 2016
  • Projetos pessoais (curto, médio e longo prazo)
  • Idéias de como otimizar meu tempo
  • Controle de peso
  • Controle "daqueles dias"
  • Tudo o que preciso organizar
  • metas financeiras
  • Inventário de roupas
  • Controle anual de finanças mês a mês com entrada e saída
  • Rotina de limpeza e organização da casa
A cada mês tem:
  • Planner (agenda mensal)
  • Controle financeiro completo
  • Folha pautada para anotações
Estou super satisfeita com o resultado e faço todos meus controles e anotações diariamente.
Antes eu anotava tudo em um caderno, mas agora ficou tudo muito mais organizado e bonito!!!

Avaliando o aplicativo Guia Bolso

Em março de 2014 comecei a utilizar o aplicativo Guia Bolso. No início ele me pareceu a coisa mais fantástica do mundo, mas, infelizmente as coisas não são bem assim.
Pra quem não conhece, ele é um aplicativo de controle financeiro, com o diferencial de que busca as informações diretamente no internet banking (para alguns bancos) de maneira bastante segura. Além disso, há a opção de lançar manualmente as movimentações. Ele permite cadastrar várias contas bancárias e ao mesmo tempo gerenciar as entradas em dinheiro (no caso de autônomos, por exemplo).
No começo é um tanto chatinho, porque você precisa cadastrar todos os tipos de gastos e colocar os valores previstos. Muitos itens ele já traz, mas outros precisam ser preenchidos manualmente. Isso toma um tempo bem grande!
Feito isso, fica bem fácil de utilizar, além dele te dizer quanto ainda falta para chegar ao limite estipulado, ainda faz gráficos bastante úteis, tanto dos percentuais utilizados para cada categoria de gasto quanto dos gastos x ganhos.
O Guia Bolso tem uma equipe muito bacana que te ajuda quando há problemas, te auxilia nas dúvidas e responde prontamente as suas perguntas, quando essas não estão nos itens de ajuda já disponíveis.
Criei uma lista para as entradas que me dava uma visão bem global dos honorários pagos e dos atrasados. Colocava os dados dos meus três bancos e das entradas em dinheiro que não iam para a conta.
Até aí, tudo ok e eu estava amando minha nova ferramenta. O problema é que a ferramenta ainda era muito nova e apresentava constantes problemas, ex: aparecia um gasto no extrato, eu preenchia a que categoria se referia e no dia seguinte ele alterava a categoria sozinho. Em outros momentos as contas apareciam duplicadas e uma série de outros problemas. Fiz várias consultas à equipe técnica, reclamei por varias vezes, tive alguns problemas solucionados e outros não.
Depois de um tempo as instabilidades do aplicativo foram se resolvendo e achei que valia a pena insistir. Na época já havia abandonado a minha boa e velha planilha do excel, o que me causa grande arrependimento hoje.
Depois de um tempo comecei a sentir falta de olhar pros meus lançamentos numa mesma tela; Sabe aquela coisa de comparar os gastos com supermercado de janeiro com os de julho? Então, eu precisava dessa visão para conseguir "enxergar" onde estava gastando mais, o que precisava cortar ou diminuir. Além disso, sou da geração X (ou antes? sei lá!) e acostumada com papel e caneta (no meu caso muitas canetinhas coloridas!) e tive medo de que os dados do aplicativo pudessem se perder em algum momento e eu poderia perder toda minha série histórica. Ele não permite salvar ou enviar os dados para outro lugar. Pode parecer piração esse medo de que os dados simplesmente sumissem, pois é, eu sei!
Daí, um belo dia em meados do segundo semestre de 2015 eu resolvi dar uma olhada nos dados mais antigos, porque era uma forma de repensar meu orçamento, já que naquela época as finanças estavam indo bem e um ano depois, nem tanto.
Para minha surpresa... boa parte dos dados estavam perdidos!!! Não os números em si, mas  a categoria descrita havia sido alterada novamente! Ex. tem um lançamento de R$ 1.000,00 e na descrição "compras". É obvio que não seria uma compra sem especificação num valor desse. Algumas coisas eu tenho como saber só pelo valor, como prestação do apartamento ou aluguel do consultório ou ainda IPTU parcelado, mas os gastos que acabam merecendo um olhar mais cuidadoso como compras em lojas, supermercado ou idas a restaurantes e bares, estão completamente perdidos!
Consegui ajeitar os dados de 2015 e passei tudo para o meu controle anual do excel.
A proposta do Guia Bolso eu continuo achando fantástica! Disponibilizar um aplicativo gratuito com tanta funcionalidade é, de fato, uma iniciativa muito bacana.
Infelizmente, talvez ele ainda não esteja pronto para utilizar!
Espero, de coração, que essa ferramenta seja aperfeiçoada e os erros sanados num futuro próximo, para que as pessoas possam utilizá-lo com confiança e que ele possa ajudá-las a cuidarem do seu controle financeiro, que julgo tão importante!
Eu, por enquanto, vou de planilha e das anotações no meu planner, que ficou o máximo!

terça-feira, 9 de fevereiro de 2016

Tentando cuidar da rotina de maneira mais leve

No domingo assistimos ao filme O Pequeno Príncipe. Lindinho!!! Adoro animação, sempre fico encantada com boas produções e este filme além de ter dois tipos de animação, ainda tem uma das histórias mais lindas de todos os tempos. Meu pequeno ainda não consegue ficar muito tempo assistindo, mas mesmo assim curtiu. A história é bem interessante, embora a crítica tenha dito que desvirtuaram a história original, eu achei muito criativa. Na verdade o filme trata da história original sendo contada e transformando a vida de uma menininha e do velho aviador.
Bom, mas por que estou escrevendo isso? Porque teve algo que me chamou atenção no enredo do filme. A mãe da menina é uma executiva, rígida, metódica, organizada ao extremo e muito exigente com a filha. Mudam-se de cidade para conseguir entrar na escola que ela acha adequada para a filha. O que mais impressiona é um painel gigante com todos os passos para chegar até a escola, tem horário para tudo, cada atividade, cada passo, cada meta a ser cumprida e enfim, a mudança para um novo estágio a cada ciclo. Ufa, me canso só de escrever! Confesso que quando vi aquilo me senti um pouco triste, por pensar que muitas vezes, guardadas as devidas proporções, tento colocar nossa rotina dentro de um padrão que acredito ser o melhor para nós.
Eu preciso de rotina organizada e penso que meu filho também será beneficiado com isso, mas tenho pensado no quanto acabo engessando minha criatividade com isso.
Eu tive uma amiga há uns anos atrás que tinha uma rotina que me chamava atenção e até uma certa invejinha. Ela tinha filho, trabalhava bastante, cuidava da casa sozinha, porque não tinha nem faxineira e ainda assim conseguia estar sempre curtindo, saindo, viajando, fazendo outras coisas além de trabalhar. Eu sempre perguntava como é que ela conseguia e a resposta era bem simples: ela não deixava as coisas se acumularem, como não tinha um salário muito bom, preferia dar conta da casa sozinha e usar esse dinheiro para o que mais importava. Tinha uma disposição incrível para acordar cedo e cuidar de tudo. O mais legal é que não ficava falando do quanto trabalhava nem se lamentando de ter que dar conta de tudo. 
Infelizmente a amizade se perdeu, mas ela me deixou um ensinamento bem importante... a gente não precisa ser escravo da nossa casa nem da nossa rotina.
A história do pequeno príncipe me fez olhar o mundo de maneira diferente quando eu tinha uns 13 ou 14 anos e agora essa nova versão me trouxe de novo a oportunidade de me olhar.
Eu não quero ser como a mãe da menina, não quero que meu filho fique mais preocupado em guardar os brinquedos do que em brincar, não quero que ele deixe de pintar só porque faz a maior bagunça.
Quero viver e curtir nossa vida, quero ter espaço para nosso lazer e nossos afetos.
Ontem, passei a tarde com uma amiga querida que não encontrava há quase 3 anos. Hoje vamos nos encontrar com amigas e seus filhotes. A casa? Mantive organizada na medida do possível, sem neuras!

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

Me organizando para emagrecer

Ando bastante cansada e ainda não consegui organizar algumas coisas, principalmente em relação à minha alimentação.
Preciso investir em escolhas mais saudáveis, por dois motivos: primeiro porque me sinto intoxicada, tenho consumido vários alimentos com farinha branca e açúcar refinado e isso me deixa bem indisposta. Além disso tenho tomado menos sucos naturais do que preciso. O segundo motivo é que preciso emagrecer, no mínimo 5 kg (um por mês já seria ótimo).
Neste feriadão ficamos em casa e não tive muita disposição de fazer comidinhas saudáveis, acabei comendo qualquer coisa no sábado e ontem fizemos churrasco e "enfiei o pé na jaca". Ainda temos dois dias de curtição e vou tentar não extrapolar, mas fazer dieta, confesso, que será difícil.
Mas na quarta-feira preciso começar uma dieta de verdade!
Vou investir no básico (que sempre funciona pra mim): suco, salada, arroz integral, pouca carne, mais legumes, menos açucar e bastante água.
Então, a partir de agora vou começar a postar um resumo da organização para emagrecer, toda sexta-feira. Vamos ver se rola!
Hoje vou ao supermercado com o filhote. Preciso comprar frutas, legumes e saladas, yogurte e queijo.
Preciso pesquisar algumas receitas saudáveis, porque não suporto ficar comendo filé de frango com salada por muito tempo. Tem milhões de opções na internet, mas não ando com vontade de fazer coisas muito elaboradas, com muitos ingredientes ou muito tempo na cozinha. Aqui em casa só me permito ficar na cozinha por, no máximo meia hora!