domingo, 30 de dezembro de 2012

O nascimento do filhote

Faz tempo que não posto nada, mas é por um motivo mais que justificável! Meu filhote nasceu no dia 10/12.  Ele é lindo, um bebê saudável e foto, mas ainda estamos nos adaptando à nova rotina. Fraldas, mamadas, noites sem dormir, banhos, dúvidas, inseguranças e tudo aquilo que faz parte do "kit mãe". Felizmente o pai não é de primeira viagem, e isso me tranquiliza um pouco, mas ainda assim, a rotina não está fácil.
Neste momento que vos escrevo, por exemplo, uso o pé para balançar o carrinho, porque ele já está pedindo minha atenção de novo! Mas tudo é tão maravilhoso, que nem estou preocupada, com a perna que vai ficar mais fina que a outra (hahaha).
Meu filho veio ao mundo em um  dia ensolarado, exatamente como eu disse a ele que seria. Ele não nasceu de parto natural como eu havia sonhado, mas a cesariana não foi algo assim tão traumático. Minha vida se transformou muito desde que engravidei, mas nada se compara ao momento em que o vi pela primeira vez, me senti renascendo, junto com seu nascimento. O amor que veio junto com aquele choro forte é o maior que já senti. 
Gabriel, meu anjinho, foi o meu maior presente de Natal!

Agora preciso ir cuidar dele, mas só gostaria de desejar um maravilhoso 2013 a todos que passarem por aqui!

Avaliando minhas metas para este ano

O ano está quase acabando e resolvi dar uma olhadinha no que eu havia planejado para 2012. Me surpreendi com os meus resultados, já que até não atingi muito do que havia planejado, mas, percebi que a vida tomou novos rumos e isso me deixou bastante feliz. De qualquer maneira, a lista era essa:

PROJETO 2012
                                                         
  1. CUMPRIR UMA AGENDA ANUAL DE CUIDADOS DE SAÚDE     (DENTISTA, GINECO, CLÍNICO, DERMATO, EXAMES). ( nunca me cuidei tanto!).
  2. VOLTAR A PSICOTERAPIA  (voltei, mas depois precisei parar)
  3. INICIAR ATIVIDADE FÍSICA (IOGA, PILATES OU TREINO) - quando eu ia começar, roubaram meu carro e isso deu uma desorganizada nas coisas.
  4. CONTINUAR INDO AO CINEMA 1 X POR MÊS (vixe, essa não passou nem perto!).
  5. FAZER UM CURSO PRAZEROSO (VIOLÃO, ARTESANATO, IDIOMA) quando iria começar, engravidei.
  6. VIAJAR PELO MENOS 2 VEZES POR ANO não consegui viajar nada.
  7. MONTAR MEU ATELIÊ montei logo no começo do ano e logo depois desmontei, para dar lugar ao quarto do bebê.
  8. IR A PRAIA MAIS VEZES - fui menos do que gostaria, porém, muito mais do que no ano anterior. 
  9.  ME DEDICAR MAIS AOS  MEUS HOBBIES (BLOGS, ARTESANATO, FILMES) fora os filmes, o restante foi bem satisfatório
  10. TROCAR DE CARRO - troquei, roubaram, precisei comprar outro, mas tudo bem!
  11. QUITAR TODAS AS DÍVIDAS ATRASADAS ainda não cheguei lá, mas falta bem pouco
  12. CONCLUIR O PROJETO DE QUITAÇÃO DO APARTAMENTO - a compra do novo carro levou todas as minhas economias
  13. LER  E ESTUDAR MAIS - não consegui priorizar isso
  14. CONCLUIR MEU PROJETO DE ORGANIZAÇÃO (FINANCEIRA/CASA)- projeto concluído e em plena execução!!
 Por mais que em termos numéricos eu tenha feito apenas metade da lista, consegui passar por várias coisas de maneira mais tranquila (como o roubo do carro, a mudança de local de trabalho, no mesmo período em que engravidei). Posso não ter feito as tarefas exatamente como planejei, mas considero que fiz muito mais coisas e meu ano foi mega produtivo!

terça-feira, 27 de novembro de 2012

Dicas para gestantes de primeira viagem

Estou na reta final da gravidez  e compartilhei várias fases e descobertas que fui vivendo ao longo destes mais de oito meses.
Fiz um resumão agora, com algumas dicas, para ajudar quem está chegando nessa viagem maravilhosa que é a maternidade!
1- A gravidez dura 9 meses, mas a passagem do tempo não é assim como a "cronologia da vida real". Os três primeiros meses são tão intensos que parecem passar num instante, depois vem outros 3 meses que passam normalmente, seguidos de 2 meses que voam e, por fim, tem um mês que parece durar anos (eu estou neste!).  Nessa confusão toda, o melhor a fazer é planejar.
2-  No primeiro trimestre temos todas as dúvidas do mundo e várias sensações estranhas (mudanças hormonais e corporais, uma fragilidade maior da saúde, algumas alterações biológicas podem ocorrer: como diabetes gestacional, aumento da pressão arterial, alergias etc). Neste início, ter um médico de confiança, além de promover um bom acompanhamento ao pré natal, dá uma segurança incrível. A dica é perguntar tudo e procurar todos os cuidados disponíveis. O centro do mundo deve ser você (sem se sentir egoísta).
3- Caso ainda não faça exercícios físicos, procure imediatamente. Vai fazer muita diferença quando o barrigão estiver pesando. O médico pode indicar a melhor atividade, já que saberá como estão suas condições clínicas. Acompanhamento nutricional e psicológico também é super indicado. Lidar com todas essas mudanças não é fácil !!!
4- Seguir à risca as indicações médicas quanto aos exames é muito importante. Marcar tudo imediatamente após a consulta é imprescindível. Em alguns planos de saúde existem certas burocracias que atrapalham muito. Eu, por exemplo, demorei para agendar o eco-cardio do bebê e quando fui ver precisava de mais tempo para obter autorização e com isso, passou do período indicado para o exame e deixamos de fazer. Uma pena!
5- Passado o risco de aborto, checadas todas as condições do bebê e da mãe, é hora de relaxar e começar a programar a chegada do baby. Veja listas em sites e revistas. Tem lista de enxoval, mala para maternidade, móveis e tudo o mais que imaginar.
6- Organize seu orçamento. Veja quanto pretende gastar, porque a variação de preços é enorme. Exemplo: Tem carrinho de R$ 150 até R$ 3.000. Podemos até achar que o de R$ 3.000 é melhor, mas e daí? Eu comprei um super legal por menos de R$ 500. Ainda não sei se é ótimo, porque o filhote ainda não nasceu!!! mas nas minhas pesquisas era o que estava na média do que eu queria gastar, era bem resistente e de uma marca reconhecida. Organizei meu orçamento assim: Poupei o máximo que pude no primeiro trimestre e este montante dividi para a compra dos móveis e a reforma. Reservei uma quantia mensal para compra do enxoval e "quase" não estourei o orçamento. Com isso não contraí novas dívidas.
7- Neste segundo trimestre tudo precisa ser organizado. Parece muito tempo, mas não é. Eu, por mais que tenha me organizado, cheguei ao terceiro com várias pendências, até porque, imprevistos acontecem. Compre tudo que puder até o sexto mês. Depois fica muito difícil bater perna, porque ficamos muito pesadas, doloridas e cansadas. Faça um check list de tudo o que precisa ser feito:

  • Compra do enxoval do bebê
  • Compra dos móveis e acessórios de decoração
  • Compra de itens de higiene p/ o bebê e para a mala da mamãe
  • Compra de itens para a mãe (Além do enxoval do bebê, precisamos pensar na gente também: primeiro porque acabamos não entrando em quase nenhuma roupa. Além disso, precisamos de camisolas e sutiãs adequados à amamentação, calcinhas adequadas e cintas pós parto. Ou seja, nesses meses mudamos todo nosso guarda-roupa !!!).
  • Contratação de serviços (reforma, pintura etc)
  • Contratação de ajudante/ empregada ou faxineira

8- Para quem, como eu, é adepta do faça-vc-mesma, é necessário estabelecer quais peças irá fazer e montar um cronograma, para não ficar sobrecarregada. Reformas como pintura, papel de parede  e armários devem ser feitas nessa fase, para dar tempo de sair todo o cheiro de tinta e cola. O mesmo serve para colocação de pisos.
9- No final desse período, mesmo que não esteja tudo arrumadinho, é importante estar com tudo comprado. Lembre-se que móveis demoram até um mês para serem entregues. Você não quer que seu filho nasça sem ter um berço, certo? Então compre antes do sétimo mês.
10- Todo o enxoval deve ser lavado. Descobri que isso é função de avó (hihihi). Se não tiver uma avó por perto, tem sempre uma amiga disponível, ou você pode pagar para alguém fazer. Afinal é coisa para caramba! E tudo deve ser lavado e passado.
11- Terceiro trimestre: A partir do sétimo mês ele já pode nascer e é fundamental você estar tranquila. Foi um alívio quando cheguei ao final de outubro (sétimo mês) com a reforma concluída, as cortinas colocadas, o sofá reformado, os móveis que já existiam, todos organizados e o berço já comprado, só aguardando a entrega. Fixar quadros e varões faz um pouco de sujeira, então, antes da faxina geral é preciso fazer isso.
12- Combine a rotina da faxineira e, se for contratar uma ajudante, faça já.
13- No oitavo mês, mesmo aquelas que passaram super bem a gestação inteira, já não tem a mesma agilidade. É o período dos inchaços, está mais difícil dormir e com  isso ficamos muito mais cansadas. Eu deixei esse período apenas para receber algumas visitas, sair um pouquinho com minha família e amigos. Guardei o restinho de energia para conseguir manter a rotina do trabalho.
14- Organizar a rotina do trabalho: Passar o trabalho para quem irá substituí-la, encerrar pendências e apresentar tudo o que foi feito. Mesmo quem não tem para quem passar o trabalho (como é meu caso), precisa concluir tarefas e avisar as pessoas quanto ao afastamento. Eu deixei minha agenda de telefones organizada, para que eu pudesse avisar todos os pacientes rapidamente, se precisasse, mas felizmente, me programei para parar de atender com 3 semanas de antecedência e pude encerrar com todos os pacientes tranquilamente.
15- Organize as contas: No decorrer do último trimestre é bom não procrastinar em nada. Sabe porque? Se a gente não fizer compra de supermercado nesta semana, na semana que vem pode ser tarde demais! Pague todas as contas assim que recebê-las e programe tudo o que for possível. Eu coloquei tudo no débito automático, para os próximos meses.
16- Pense no pós parto como um período em que tudo deve estar fácil e à mão. Então, tente fazer uma compra de supermercado maior do que de costume. Estoque coisas, principalmente alimentos não perecíveis e produtos de limpeza e higiene. Eu fiz uma compra de itens básicos no início deste mês, com o dobro de tudo (de papel higiênico a macarrão). Assim, nas primeiras semanas, só precisaremos sair para comprar vegetais e carnes, o que dá para fazer em uma passadinha de 15 minutos no supermercado.
17- Veja quem poderá ajudá-la nas primeiras semanas (vale mãe, sogra, irmã, cunhada ou uma ajudante contratada). Mesmo eu não sendo adepta de ter alguém dentro de casa o tempo todo, sei o quanto será necessário e minha mãe virá aqui pra casa nos primeiros dias. Além disso, tive a sorte de encontrar uma faxineira ótima e a casa está bem organizada e limpa.

Agora estou a 2 semanas do final dessa aventura. Outra, ainda mais intensa, está por vir!
Estou tranquila e preparada, ainda que ansiosa!




quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Alguns perigos de gerenciar várias contas em bancos diferentes

Eu acabo de descobrir um rombo enorme em minhas finanças. Estou decepcionada por não ter percebido antes e agora vou ter que arcar com isso e a dor de cabeça já está sendo enorme!
Vim aqui dividir com vocês, porque isso pode acontecer com qualquer um e, se for com alguém super organizada como eu tenho sido, dá muita raiva!
O caso é o seguinte: Tenho 3 contas em banco: uma é minha conta salário no banco X, outra é uma conta poupança, que antigamente era salário e que mantive, só para ter a poupança separada do resto (Banco Y) e uma terceira, que jamais escolhi ter, que servia até aqui, apenas para pagamento do financiamento imobiliário. Mantenho essa conta na CAIXA ECONÔMICA FEDERAL há anos e vinha movimentando apenas para pagar o financiamento mesmo. Quando sobra um tanto a mais, acabo deixando uma reserva também neste banco,  para uma eventualidade. Assim, tenho sempre o valor de uma parcela do apartamento a mais. Quando a situação aperta, posso contar com ele. Estava tudo indo bem, até que em agosto, com o roubo do meu carro, sai limpando todas as contas e acabei entrando no limite dessa conta. Paguei uma parte no mês seguinte, mas ainda fiquei negativada. Acontece que faço todas as minhas transações pela internet e o site deste banco é péssimo; às vezes não consigo nem um simples extrato. Resultado, acabei não prestando muita atenção na conta nos últimos 3 meses. Como a transferência do Banco X era automática eu nem me preocupei muito (sabia que ficaria com um saldo negativo, mas bem pouco). Resultado: o débito automático não aconteceu nos últimos 2 meses e eu fiquei com um rombo enorme, que só agora percebi.
Outra coisa mega desagradável: Eu jamais utilizo cartão de crédito, mas nesse período difícil acabei fazendo uma compra parcelada e como estava para ser debitado na mesma conta, também não notei que não debitaram, não emitiram fatura e não entraram em contato comigo! Agora estou tendo que brigar com a instituição financeira para não pagar juros e meu nome acaba de ir para o serasa!
Gente, é muito estresse desnecessário! Se eu tivesse um canal de comunicação com esse maldito banco, que realmente funcionasse, jamais teria chegado a esse ponto.
Além disso, não tenho como saber porque o outro banco não mandou o dinheiro para lá e não tenho como responsabilizá-los também. Ou seja, todo meu sistema de controle falhou, porque os bancos falharam e eu não percebi !!!
Estou chateada e apreensiva para resolver tudo isso antes de ter o bebê.
Mais uma pedra no meio do caminho...

domingo, 18 de novembro de 2012

Coisas que ninguém te conta sobre a gravidez...

Não quero aqui estragar o sonho romântico de ser mãe de ninguém, mas queria compartilhar umas "coisinhas" que ninguém conta! Até porque, a maternidade é um momento tão mágico e tão maravilhoso que eu acredito até que a gente esqueça tudo o que passou de ruim nesses eternos 9 meses!!!!
Então tá, eu sou um pouquinho sarcástica e muito pé no chão... por isso vou destruir seu castelo, mas só um pouquinho, tá?
Aliás, se alguém está lendo isso, é porque quer mesmo saber toda a verdade, hahaha!
No meu primeiro mês de gestação fiquei mega estranha e acho que todas ficam:
A gente fica feliz, mas desesperada com  toda a responsabilidade que vem pela frente.
Fica realizada, mas não consegue realizar quase nada do que estava acostumada.
Se sente poderosa, mas fica frágil feito um cristal.
Acha que todo mundo vai te admirar, mas ninguém nem percebe direito o que está acontecendo.
Ou seja, a sensação é de que algo muito esquisito está acontecendo!!!!!

Então vem os enjôos e um sono que jamais alguém sentiu igual! Aí você sente uma fome tremenda, mas quando come passa mal! Aí você dorme o quanto precisa e perde seus compromissos e perde dinheiro e perde até um pouco da credibilidade (afinal, como assim não foi trabalhar hoje, porque não conseguia ficar acordada????). Prepare-se, isso vai durar, no mínimo, três meses! Pra mim, foram mais de quatro!!!!!!!!!

Chega o segundo trimestre... Ahhh o segundo trimestre, onde tudo está mais adaptado e você se sente bem melhor, certo??? Só se for pra você! O gasto de energia pra produzir um bebê é imenso, logo o cansaço que senti foi mais ou menos assim: como se eu tivesse deixado de atender pacientes e começado a fazer parte da equipe da construção civil. No final do dia "carregando pedra" tudo dói! Se você é sedentária como eu e quer engravidar, aí vai o melhor conselho: Comece uma atividade física imediatamente!!!!!!!
Vai por mim, fará toda a diferença! Eu, já idosa que sou, tenho uma coluna, digamos claramente: "podre". Quando os primeiros quilos chegaram (até aí normal), minha coluna quase me imobilizou. Sem brincadeira, a dor é in-su-por-tá-vel!
Além disso, se você não consegue ser um sargento na hora de se alimentar, vão faltar nutrientes e a imunidade cai. Resultado: tive uma sinusite que durou dois meses (dá pra imaginar, sentir dor de cabeça e nos seios da face, por mais de 60 dias, sem trégua?). Não tô dizendo que isso aconteça com todo mundo, mas aquilo que já é frágil na gente, fica bem mais vulnerável. Então, pra ser feliz nessa fase, o ideal seria ficar descansando em um spa, daqueles com equipe médica, fisioterapeuta, nutricionista, comidinhas bem regradas, atividade física na medida certa e uma rede embaixo de uma árvore... Se eu soubesse que isso aliviaria meu sofrimento, eu teria feito uma poupança nos últimos 20 anos, só para gastar com a gravidez!!!
Como eu imagino que poucas podem se dar a esse luxo, digo que vai ser uma barra, carregar essa barriga, mais todos esses desconfortos respiratórios, azia, sono todo doido e ainda ficar testando posição para dormir, já que a gente morre de sono, mas não consegue achar posição. Tudo dói, lembra?
Enfim chega o último trimestre, que em termos subjetivos, dura, mais ou menos, uma eternidade! É nessa reta final que estou agora... Os pés incham (muuuuito), a coluna dói, dói e dói. O peso que você jamais teve na vida incomoda pra andar, pra ficar sentada, pra respirar, pra comer, ou seja, pra existir!
Sinto fome, mas meu estômago está comprimido pelo barrigão e não cabe muita comida de uma vez, portanto, como o dia inteiro. Sinto muita sede (sei lá porque) e com isso minha bexiga que está também comprimida, me faz ir umas 30 vezes por dia ao banheiro (acho que dessa vez, nem estou exagerando). Ou seja, meus dias no trabalho se dividem em: comer, descansar, tomar água e ir ao banheiro. Quando "sobra tempo" eu até consigo trabalhar um pouquinho!!! Bem pouco, já que não consigo ficar em pé por mais de 15 minutos e não consigo ficar sentada por mais de uma hora!
Além disso, no último mês a gente fica mais atenta a tudo o que acontece no corpo: o bebê está mexendo demais? Hoje ele não mexeu muito? Essa sensação esquisita é vontade de fazer xixi? Ih, há quantos dias não faço cocô? Essa queimação foi por causa do açucar? Putz, esqueci a vitamina! Posso tomar mais um remedinho pra essa dor estranha que começou agora? Isso é cólica ou contração??????... E quando a gente se dá conta, passou metade do dia, olhando apenas para nosso próprio umbigo (literalmente!).

Mas, enfim está chegando a hora dele nascer e eu estou aqui escrevendo esse monte de tolices, porque estou mais ansiosa e assustada do que nunca! E devo admitir: mais feliz do que jamais estive!
Acho que todas essas coisas servem apenas para dizer, que daqui há um mês terei esquecido de todas essas dores e estarei aqui com meu pequeno nos braços, feliz da vida. Mas queria só dividir essas coisas que eu também não sabia que seriam tão difíceis e que em  alguns casos podem ser evitadas por quem está planejando engravidar: atividade física, uma alimentação mais leve, melhor consciência do próprio corpo, podem ajudar, vai por mim e boa sorte!

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Dicas para quem está iniciando na cozinha

Eu estava aqui me organizando para cozinhar alguma coisa legal (e prática) para hoje à noite, já que estou cumprindo minha meta de comer mais em casa. Fiquei pensando em pessoas que estão embarcando agora nesse mundo de "brincar de casinha" e resolvi partilhar alguns aprendizados culinários. São dicas para quem está começando mesmo e não tem idéia da rotina doméstica na cozinha.
Aí vai:
Primeiro é preciso pensar nas compras. Já fiz um post falando de como fazer a primeira compra de supermercado, mas agora a dica é mais simples: Faça uma compra mensal com itens não perecíveis e que irá utilizar diariamente. Semanalmente compre carnes, ovos, leite, queijo, iogurte,  frutas, legumes e verduras. Simples não?
Como no início a gente ainda não sabe o que vai utilizar, é bom comprar pequenas quantidades (ex. pacote de 1 kg de arroz ou 1/2 kg de feijão). Tenha sempre óleo, azeite e muitos temperos (desidratados são práticos e duram muito). Cebola e alho são essenciais na cozinha - tenha sempre!
O restante vai do seu gosto pessoal. Gosta de macarrão? Compre, mas evite lamén. Gosta de sopas em pacote? Compre, mas não em grande quantidade (esses alimentos são muito calóricos e tem  muito sódio, você logo perceberá o quanto não fazem bem, se consumidos em excesso).
É importante que se decida um cardápio antes de ir às compras, ou que pelo menos se calcule uma média de pratos que serão feitos na semana. Assim evitamos que ingredientes estraguem, sem serem utilizados.
Eu já perdi muita salada, muito legume e muita carne, quando eu acreditava que conseguiria cozinhar todos os dias e que a cada dia faria um cardápio diferente. Até hoje ainda perco a noção de vez em quando, mas muito menos do que no passado.
Precisamos lembrar que não estamos mais na casa da mãe, onde se cozinhava todos os dias, em grandes quantidades, para uma família inteira. Estamos falando de uma pessoa ou, no máximo, um casal, certo?
Então vamos às dicas mega práticas:
- Planejamento: Se vou fazer arroz, feijão, carne e salada, por exemplo, já deixo o feijão limpo e de molho na véspera.
- Praticidade: Ficar horas na cozinha está fora de contexto! Então, eu faço assim: Tiro da geladeira tudo o que pretendo fazer, de uma única vez - economiza tempo e energia elétrica. Coloco uma jarra de água para ferver, independente do que eu vá cozinhar. Já corto cebola e amasso alho em quantidade suficiente para todos os pratos, isso economiza muito tempo! 
É bom lembrar que cada alimento tem um tempo de preparo, assim a gente não corre o risco de comer comida fria. Feijão e carnes cozidas demoram bastante e carecem de panela de pressão; assados também demoram, então cozinhe primeiro. Arroz e massas são super rápidos (menos de vinte minutinhos). Eu costumo evitar fazer uma carne demorada (tipo lagarto recheado) no mesmo dia em que faço feijão, porque duas panelas de pressão juntas é algo ensurdecedor! 
- Como não dou conta de cozinhar todos os dias, faço feijão em maior quantidade, já cozinho temperado e congelo algumas porções. Arroz eu gosto fresquinho e como não dá trabalho, faço diariamente. Quando faço carne moída, já refogo toda, com os temperos básicos: cebola, alho, sal e pimenta. Deixo congelado em potinhos, que dá para fazer molho bolonhesa, misturar com legumes ou simplesmente fazer sanduíche. 
Legumes podem ser congelados, mas eu não gosto. Prefiro cozinhar na hora e não dá trabalho, principalmente para quem tem panela a vapor (preciso de uma urgente!).
Só para dar um exemplo de um dia típico: Chego em casa, meu feijão está de molho e minha carne já descongelada. Coloco água no microondas, corto os temperos, refogo o feijão e coloco na pressão. Lavo a louça, tempero a carne, lavo a salada e o arroz. Isso tudo dá menos de 15 minutos. Enquanto o feijão cozinha, cuido das outras coisas: coloco roupa na máquina, dou uma arrumada na casa... Depois volto para a cozinha, faço a carne o o arroz. Pronto! Em cerca de 40 minutos está tudo pronto.
Espero que estas dicas sejam úteis!




domingo, 4 de novembro de 2012

Concluindo a organização para a chegada do bebê

Ufa terminamos!
Parece tão simples preparar tudo para receber o bebê, mas a verdade é que dá muuuito trabalho!
Tivemos um feriadinho nesta semana e com isso foi possível furar as paredes para receber os quadros e cortinas que ainda faltavam. Fiquei exausta na sexta (no sábado trabalhei), mas deu tudo certo: montamos um móvel que faltava, arrumamos várias coisas e ontem a tarde minha mãe veio com as roupinhas limpas e passadas e arrumou tudinho no armário. Consegui uma faxineira (enfim !) e ela deixou a casa mega arrumada e limpa. Agora só falta mesmo a montagem do berço, que será essa semana.
Gente, é muito estranha a sensação... passei outubro estressada, porque parecia que faltava muita coisa, mas no final deu tudo certo e eu fiquei com aquela sensação de "e agora, o que que eu faço?". Engraçado né? Cumpri tudo a que me programei e fica uma sensação de "fim" quando na verdade é apenas o começo!
Bom, a única coisa que me frustrou um pouco é que fiz um monte de fotos do antes e durante que foram deletadas por um problema na minha máquina... agora não vou poder postar o Antes & Depois, como eu queria!
Mas tudo bem! O legal é que está tudo lindo, tudo clarinho e aconchegante... como meu bebê merece !!!

quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Fazer comida em casa pode representar uma economia de mais de 50%

Comer fora é uma delícia! Isso todo mundo já sabe, né?
Mas para quem está em plena organização financeira, cortando gastos ou tentando sair do vermelho é preciso considerar mais do que o prazer de comer em um lugar legal, com pratos deliciosos e com a comodidade de não ter que lavar a louça depois.
Há pesquisas que falam de uma economia de até 50% com alimentação, quando se muda este hábito.
É lógico que a gente não precisa se tornar um monge e viver no limite das regras, mas eu gostaria de considerar o seguinte:
Primeiro: preciso cortar gastos
Segundo: preciso poupar mais, para me sentir mais segura
Terceiro: preciso me dedicar a coisas extremamente importantes neste momento e, comer fora não é tão importante assim.
Pronto, isso já é suficiente para me dedicar mais a cozinhar em casa!

Vou tentar colocar um exemplo prático para quem ainda não se convenceu, ok?
Para comer uma massa, em uma fast food do shopping, gasta-se, no mínimo 15 reais (sem qualquer acompanhamento!).
Vamos às compras:
1 pacote de massa (macarrão comum) - R$ 1,80 a 2,50
1 kg de tomate - R$ 3,00
1 sache de molho de tomate- 1,00
1/2 kg de carne moída ou frango - R$ 7,00
Pedaço de parmesão p/ ralar - R$ 5,00
Temperos: alho, cebola, orégano, pimenta... - R$ 2,00 (no máximo)
Total: R$ 20,50. Rende 4 porções (no mínimo), ou seja, cada porção sairá por, aproximadamente R$ 5,00, UM TERÇO DO VALOR!
Parece bobagem para quem vive sozinho e não tem muita disposição (ou necessidade) de cozinhar, mas imagine isso em uma família de 4 pessoas...

Dá para fazer esse cálculo brincando, com qualquer prato ou mesmo no restaurante por quilo. Imagine só, alguém que está de dieta, comendo basicamente salada e filé de frango, almoçando em um restaurante que cobra R$ 35,00/ kg? Consegue imaginar um kg de salada? É salada pra caramba!!! Eu consigo fazer um bom prato de salada, com um filé de frango, por menos de 5 reais e no restaurante onde almoço, faço o mesmo prato, por mais de 10 reais (50% a mais).
Eu já diminui bastante minhas idas a restaurantes durante a semana, mas ainda preciso diminuir mais!
Essa é minha nova meta: reduzir o consumo durante a semana e poder sair nos finais de semana, com menos culpa!
Estou lançando esse desafio para mim (alguém me segue?): Durante o mês de novembro vou reduzir o gasto com alimentação, sem me privar do que gosto e dos produtos de qualidade que fazem diferença em minha dieta. Vou relatando aqui para partilhar essa experiência que será bem legal!

Esse link é bem interessante:
http://poupaclique.ig.com.br/materias/195001-195500/195384/195384_1.html

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Como planejar uma demissão do trabalho

Mudanças podem até ser boas, mas quase nunca são fáceis, quase sempre causam insegurança e sempre, sempre, causam algum gasto de energia.
No início do ano, antes de engravidar, eu passava por um período de turbulência no trabalho e pensava em como seria sair da empresa, voltar ao mercado de trabalho depois dos 40...
Aí veio um período em que as coisas se ajeitaram e fiquei novamente tranquila, mesmo não estando feliz no novo local de trabalho. Ao mesmo tempo, o meu consultório entrou em uma fase muito boa, porém ainda instável.
Talvez naquele momento eu devesse ter arregaçado as mangas e começado a procurar outro emprego, porém com a gestação eu entrei em um novo momento, me voltei completamente ao meu filho e aos cuidados com minha saúde. Bom, esse investimento não tem preço, nada poderá substitui-lo e eu sei que tenho feito a coisa certa.
Agora as mudanças no trabalho vão realmente acontecer e é hora de lidar com elas!
Como? Planejando, óbvio !!!
Primeiro:  Analisar a situação: No meu caso a questão maior neste momento é financeira (para a maioria das pessoas, aliás). Tem algumas perguntas chave: Quanto tenho de reserva? Para quanto tempo isso será suficiente? O que dá para cortar? O que tenho para "fazer dinheiro"?
Como eu já vinha me preparando para esse momento, já tenho a resposta para todas as perguntas, porém não consegui fazer uma reserva considerável. Tenho ainda alguma vantagem que é esse período de estabilidade: o restante do período de gestação + a licença maternidade + férias, o que totalizam uns 7 meses. Portanto, tenho que trabalhar com meu dinheiro agora, com muita responsabilidade !

Segundo: Fazendo as contas: Qual o montante que receberei no acerto de contas? 
Devo levar em consideração os dias trabalhados, os proporcional a férias, décimo-terceiro, indenização e FGTS.

Terceiro: Montando uma estratégia: Manter a reserva na poupança? Quitar financiamentos? Investir?
Como eu já postei, tenho dois financiamentos: do apartamento e do carro (que foi roubado!snif!). O do carro terei que que rever, porém o do apartamento está bem mais fácil: com o FGTS+ a indenização por demissão+ um pequeno montante, consigo quitar, afinal essa já era minha meta para 2013/14. Para mim, resolvida a questão da moradia, eu já fico tranquila para lidar com todo o restante.

Quarto: Como retornar ao mercado? Essa é uma questão delicada, porque em  cada área isso se dá de uma forma. No meu caso, preciso estudar muito e prestar um concurso público. Paralelamente, continuarei investindo no consultório. O ideal seria que todos nós continuássemos em contato com o mercado, mesmo enquanto estamos "estáveis". Atualizações, estudos, reuniões com colegas da área... Tudo vale a pena como  estratégia para se manter em contato com o mundo do trabalho.

Bem, este é o meu "manual básico" de planejamento para uma provável demissão no ano que vem. Acredito que com essas quatro etapas conseguirei dar conta desse novo momento.

terça-feira, 23 de outubro de 2012

Metas para Novembro

Em novembro não haverá muito a fazer, já que toda minha organização para a chegada do bebê estava nas programações de julho a outubro. Ainda tenho uma semana para terminar outubro e algumas coisinhas ainda estão pendentes. Em novembro minha grande meta é descansar e fazer coisas gostosas !
Novembro:
- Viajar em um dos feriados
- Receber minhas amigas para um chá da tarde
- Ler mais
- Organizar a agenda do consultório para a licença maternidade
- Deixar todas as contas organizadas (o que não estiver em débito automático, deixar programado, inclusive para dezembro)
- Fazer uma compra grande de supermercado
- Fazer as lembrancinhas (junto com minha irmã)
- Ir ao cabeleireiro
- Encontrar uma manicure que venha em casa
- Arrumar cds e dvds
- Ir ao cinema
- Ir a um parque
- Programar um almoço com minha família em casa

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

O PREÇO DA DESORGANIZAÇÃO

Eu já escrevi o quanto ando exausta nesses últimos dias e que com isso tenho tido muita dificuldade para organizar minha rotina, mas neste final de semana acabei não conseguindo fazer praticamente nada (o máximo que fiz foi lavar roupa e louça e deixar a casa sem muita coisa espalhada). No sábado trabalhei e depois fui ao shopping, tentar comprar as coisas para a mala da maternidade (não consegui comprar tudo).
Depois tive uns probleminhas pessoais e não consegui fazer mais nada. No domingo estava péssima, cansada e tinha dormido mal. O horário de verão contribuiu ainda mais para esse mal estar, mas mesmo assim fomos a um almoço com 3 casais de amigos. Isso me revigorou de uma maneira extraordinária!
Apesar de ter sido muito bom, acabei não cuidando de nada em casa, resultado: com a minha desorganização, hoje tive que dar conta de dezenas de coisas: fiz supermercado na hora do almoço e acabei atrasando meu retorno ao trabalho. Depois que cheguei em casa- estressada por causa do calor- por volta das 19h30,  tive que subir com as compras, guardar tudo, lavar louça, organizar o lixo, fazer o jantar, tirar restos da geladeira, lavar meus sapatos, limpar minha mala, começar a guardar as coisas do bebê, dar uma arrumada nas costuras que estavam espalhadas na bancada.e guardar os materiais que utilizei nos últimos dias, recolher roupa do varal, tomar banho, jantar e por fim ainda dei uma "descansada" ouvindo música e atualizando minha planilha de orçamento. Agora já são 23h50, estou exausta, mas até que feliz por ter dado conta!!! Isso só foi possível porque comecei hoje uma nova rotina: diminuí meu tempo na internet, nada de facebook e nada de TV.
Agora vou deitar e tentar dormir. Infelizmente não terei tempo de ler um pouquinho!

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Avaliando as metas de outubro e momentos de muita ansiedade

Estou muito ansiosa e isso afeta diretamente minha vida...
Nas últimas semanas senti muitas dores nas costas e barriga e isso me preocupou bastante. Fiquei de licença médica nesta semana e, mesmo tendo aproveitado para descansar e fazer algumas coisinhas leves, a ociosidade me deixou muito ansiosa.
A relação com meu trabalho também tem me preocupado (mas deixemos isso de lado).
Enfim, estou acelerada, comendo além da conta, já engordei muito além do que eu pretendia (e deveria) e ficando muito tempo na cama, o que, piora as dores nas costas.
Ontem fiz um balanço das metas para outubro e me dei conta do quanto estou "pilhada", já que ainda falta mais de 1/3 do mês - é como se eu quisesse empurrar os dias!!!
O bom disso é que adiantei muita coisa, pelo menos nos horários em que estou com menos dor.
Aí vai a avaliação das metas:


Em outubro minhas metas/tarefas foram relativas, principalmente, à organização do quarto do bebê e da casa, para recebê-lo. Vamos ver se consegui dar conta de tudo:

1. Reformar a mesa/bancada que era do ateliê e agora será do quarto do bebê (ok, apesar de que nunca mais vou lixar um móvel dentro de casa! A bagunça foi demais e fiquei muito estressada)
2. Reformar o móvel da tv (adiada, pelo motivo acima!)
3. Montar os quadros da sala – ok concluído
4. Fazer uma faxina "pesada" - item difícil, já que estou, mais uma vez sem faxineira!
5. Ir à caça de uma nova faxineira – consegui uma finalmente! Virá na próxima semana
6. Comprar tapetes (sala e quarto do bebê) - adiei por não ter encontrado nada de que goste
7. Limpar o armário do meu quarto - está fácil, já que é só limpar e arrumar: já me desfiz de tudo em setembro - só depois que a faxineira vier
8. Rever minhas metas financeiras - que fizeram um ano! – ok, revi as metas e fiz  os ajustes necessários.
9. Terminar minhas almofadas – não fiz todas que pretendia, porque não achei os tecidos para a composição, mas já está bom, acho que vou deixar assim
10. Terminar as cortinas do quarto do bebê – terminei!
11. Organizar o quartinho de "bagunça" - que passou a se chamar assim depois que coloquei tudo lá dentro, para pintar o apartamento e não consegui organizar nada ainda. – só depois que a faxineira começar
12. Decidir se irei ou não fazer chá de bebê – ainda não decidi
13. Decidir se iremos viajar em novembro – estou pesquisando!


terça-feira, 16 de outubro de 2012

Planejando a chegada do bebê 2: Organizando a casa

Além de tudo o que planejei em relação ao espaço e conforto do bebê, preciso organizar o meu conforto no início dessa nova vida (afinal eu nunca cuidei sequer das plantas e agora terei uma pessoinha dependendo de mim! Ai que medo!!!).
Como já postei, estou mais uma vez sem faxineira e, por mais que as coisas não ficassem tão boas, ter alguém para limpar me deixava mais livre para organizar o que precisava. Agora, infelizmente, estou "ralando" para dar conta de trabalhar em dois empregos, cuidar da casa, terminar tudo o que tenho para fazer, encontrar tempo para descansar...
Ainda não encontrei uma outra pessoa para me auxiliar e tenho clareza de que não vou (e não tenho qualquer pretensão de) dar conta de tudo sozinha. Mas continuo procurando. Desabafo feito, mãos à obra!
Tenho pouco mais de um mês para organizar a casa.
O planejamento é o seguinte:

  •  Pintura do apartamento (ainda não consegui limpar toda a sujeira do pintor)
  •  Reforma dos estofados: ok, já foi entregue o sofá da sala.
  • Quadros da sala: Montei os quadros, marquei os locais onde serão instalados, só falta furar a parede.
  • Cortinas e almofadas da sala: já estão prontas e colocadas.
  •  Instalação de mais um varal: de novo, a espera da furadeira
  •  Organizar o armário: passar todas as roupas, organizar a roupa de cama.
  •  Comprar medicações de uso contínuo, analgésicos e material de primeiros socorros
  •  Fazer supermercado: estocar alguns itens (higiene, produtos de limpeza, alimentos não perecíveis).
  •  Cozinhar e congelar alguns pratos.
  •  Cuidar das unhas e do cabelo.
  •  Fazer uma faxina geral (para isso precisarei de alguma ajuda).
  • Contas: além daquelas contas que já estão em débito automático, tenho algumas que não são, mas dá para programar o pagamento assim que chegarem, assim evito pagar multas por atraso, caso o bebê resolva nascer em dia de pagamento.
  • Agenda do consultório: Por mais que eu tenha deixado uma data indicativa para interromper os atendimentos, não terei como prever a data exata de parar e, como não temos uma secretária em período integral, vou deixar uma lista completa, com os telefones e horários, para que na hora H, possamos avisar a todos e não causar nenhum transtorno.

Bom, preciso me organizar para dar conta de tudo isso!

Planejando a chegada do bebê 1


Estou em compasso de espera pela chegada do meu filhote. Acho que já escrevi isso umas mil vezes! hihihi
Fiz um post em julho com a programação de tudo o que precisava ser feito até sua chegada, sem stress e da maneira gostosa que eu escolhi preparar a chegada do filhote.
Quando começou outubro ainda faltava um monte de coisas, começou a dar frio na barriga, mas aí veio o feriado e eu fiquei a maior parte do tempo em casa, cuidando dos detalhes. Agora já está quase tudo pronto! Faltam algumas coisinhas, mas tenho esse mês inteiro ainda para deixar tudo prontinho, com um mês de antecedência, conforme planejei.
Aí vai o "balanço" desse período, que poderá ajudar futuras mamães a fazerem o seu planejamento:
Abril/maio/junho: No primeiro trimestre é muito difícil fazer qualquer coisa, já que é a época em que a gente se sente muito sem energia, tem muitos enjôos e um sono surreal. Além disso temos muitas dúvidas sobre a gravidez- se ela irá em frente ou não (por mais que tentemos afastar esse pensamento, é impossível não sentir insegurança). Vivi isso cotidianamente, principalmente por já ter abortado no primeiro trimestre, anteriormente. A dica aí é cuidar da saúde: A primeira e mais importante providência é INICIAR O PRÉ-NATAL ainda no primeiro trimestre (óbvio, mas tem muita mulher que fica protelando e quando vai começar já está com a gestação bem adiantada), procurar todas as orientações possíveis,  perguntar tuuudooo para seu médico, repousar sempre que possível e tentar viver esse turbilhão de emoções da maneira mais tranquila possível. Cuidar da alimentação, na minha opinião é o mais importante! (Atividade física é super indicado, mas eu não consegui fazer nada, porque me sentia muito fraca).
Quando passa esse risco inicial, nos sentimos mais confiantes e a organização das coisas já pode começar: É um momento lindo!!! Em julho eu finalmente comecei a me sentir mãe de verdade  e aí comecei a planejar tudo!
Julho:  Fase de planejamento: Planejei tudo o que foi possível! Fiz um planejamento mês a mês, até um mês antes da data prevista para o parto. É bom lembrar que por mais que pareça uma eternidade, são poucos meses (no máximo 5) e assim como no início tudo é difícil, no final vem o peso e fica difícil bater perna em busca do enxoval e dos móveis.
Dicas?
·              Veja muitos blogs e revistas de decoração, lá você encontra tudo o que vai precisar e há muitas listas do que precisa para o enxoval.
·              Pergunte-se: Irá fazer alguma reforma? (tipo trocar piso, pintar parede, trocar janela etc). Terá que reformar algum móvel (sofá, armário, cômoda...)?  Avalie o tempo necessário para isso e comece a reforma imediatamente, já que costuma demorar mais do que o previsto (sempre!). Compre os materiais necessários e contrate os serviço, mesmo que pretenda fazer daqui há um ou dois meses, deixe tudo contratado.
·               Escolha o tema da decoração, as cores e faça um esboço de como ficará tudo. Não esqueça do planejamento financeiro. Projeto bom é projeto viável!
·               Faça lista de tudo o que irá precisar para a reforma, para a decoração/móveis e para o enxoval (incluindo produtos de higiene). Agora que já planejou, mãos à obra!!!

     Eu fiz assim:

Julho: Fiz todo o planejamento descrito acima, depois destralhei a casa (estava de férias) e só então comecei:

·        Iniciar o enxoval
Comprar tudo de uma vez, em um único dia, é uma opção que pode funcionar e evitar várias idas às lojas. Eu preferi ir comprando à medida que fui encontrando coisas de que gostava. Além disso, em cada dia de ultrassom eu me “presenteava” com umas comprinhas para mim e para o bebê.
·        Comprar tecidos para a decoração
       Eu adoro fazer coisas para casa, por isso, após escolher o tema da decoração, fui duas vezes à R. 25 de março (julho e setembro), local aqui em SP, onde se encontra tudo em tecidos e materiais para costura e artesanato.
·        Comprar tinta para pintar o quartinho (e os demais cômodos do ap)
       Como planejei pintar todo o apartamento, já comprei o material necessário.
·        Contratar o pintor e o tapeceiro (este segundo, não veio)
       Acabei mudando a programação e o que iria ser feito em agosto, acabou sendo transferido para setembro. Até o prazo consegui, finalmente, contratar a reforma dos sofás da sala e do sofá cama do quarto do bebê.
·        Desocupar o quarto
Não desocupei o quarto, porque ele é bastante usado ainda (é ateliê, sala de tv, escritório etc), mas já consegui transferir para o outro quartinho todos os livros e as revistas. Consegui organizar praticamente todos os papéis e os materiais de artesanato.




Agosto:
·        Começar a fazer objetos de decoração
       Almofadas, cortinas, kit higiene, abajour, quadrinhos etc. Com a ajuda das minhas sobrinhas lindas Clara e Gabi.
·        Pintura: Seria feita na segunda quinzena de agosto (17 e 18/8), mas houve um adiamento até definir a situação do carro. Foi feita em setembro.
·        Reforma dos sofás: Combinei com o tapeceiro a retirada dos sofás durante a pintura do apartamento, isso ajudou muito (recomendo!), porque assim os espaços estavam bem mais vazios o que agilizou o trabalho.
·        Fazer as cortinas e terminar as almofadas: com o stress do roubo do carro e a mudança na reforma, acabei não conseguindo terminar.
·        Começar o estoque de fraldas: Acabei desistindo, porque até agora ainda não definimos se iremos ou não fazer chá de fraldas.

Setembro:
·               Finalizar o enxoval: Em agosto Clara fez um inventário de tudo o que já havíamos comprado e isso me guiou para comprar o restante e para que minha mãe comprasse os “milhares” de presentes que ela deu para seu neto!
·               Terminar objetos de decoração: Faltavam muitas coisas ainda e este foi um mês difícil e cansativo. Além disso, não sei direito porque, passou rápido demais!
·               Comprar berço/carrinho/banheira/cadeirinha: Comprei o carrinho e ganhamos a banheira e a cadeirinha p/ o carro. Ainda falta o berço!
Outubro:
·   Reforma da bancada: Eu tenho uma mesa que nós mesmos fizemos para o ateliê (que agora é o quarto do bebê). Como não vi necessidade de uma cômoda, resolvi pintá-la e deixá-la lá mesmo, servindo de trocador e local para os produtos de higiene e o que a gente quiser fazer (inclusive continuar fazendo minhas artes!). Foi um trabalho difícil, porque a madeira estava crua e precisei lixar muito e dar 4 demãos de tinta. Isso causou um certo stress, porque lixar dentro do ap, não é coisa fácil! Mas enfim, terminei!
·   Terminar cortinas: ok, fiz neste final de semana!
·   Terminar almofadas: A Gabi costurou as do quarto e eu as da sala.
·   Fazer o protetor de berço: Já montei todas as peças no final de semana, agora vou costurando ao longo desta semana, um pouquinho por dia.
·              Fixar quadros e varão da cortina: Trabalho para o super-pai! Neste final de semana.
·   Comprar produtos e higiene: Ainda nem pensei nisso!
·              Comprar coisas para mim: Camisola adequada à amamentação, lingeries, chinelo, produtos de higiene pessoal
·              Montar o quarto (móveis, quadros etc.): Até o final da semana que vem estará tudo no lugar!
·              Lavar e passar as roupinhas (ajuda da vovó): Já levei tudo e agora só falta o carinho da vovó!
·              Fazer malas para a maternidade: isso será a última coisa, mas quero deixar tudo pronto até semana que vem, porque a gente nunca sabe quando é que ele vai chegar, então melhor me prevenir!
Novembro:
Agora é só esperar tranquilamente (espero!) pela chegada do bebê!!!






sábado, 13 de outubro de 2012

Dia das Crianças

Ontem foi Dia das Crianças. Embora eu não seja muito consumista e ache que é uma data bastante comercial, não há como negar que ver os pequenos se divertindo com seus presentes é uma delícia!
O meu filhote ainda nem chegou e já ganhou presentes também. Além disso tem os netos do meu marido, que são crianças maravilhosas, e as minhas sobrinhas -que já nem são tão crianças, mas fazem a alegria da nossa família.
Neste ano aproveitamos o feriado para comemorar meu niver (que foi dia 9), com um churrasco. Essa mistura de festa de aniversário e festa de criança me fez muito feliz.
No final, o mais importante foi sentir todo esse carinho com nosso filhote e comigo também.
É bom saber que estamos nos preparando para a chegada dele!

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Recebendo um e-mail para ajudar na organização

Quando eu estava no último ano da faculdade, uma professora fez uma atividade muito interessante: sugeriu que escrevêssemos uma carta para nós mesmos no futuro, nos dando notícias de como estariam nossas vidas um ano depois. Gostei tanto da idéia e da surpresa da chegada da carta em minha casa um ano depois, que achei que deveria fazer isso mais vezes. É emocionante ver como a gente imaginava o futuro e quais seriam nossos anseios.
No ano passado conheci uma versão "mais moderna" da tal carta: o emailfuture.com.
Com ele eu "brinco de deus" e faço previsões para o meu futuro! Mas ele tem um uso bem mais sério e útil também: cuido do meu projeto, colocando os próximos passos. Funciona como um lembrete para futuros compromissos e uma maneira surpreendente de rever os prazos. É bem gostoso receber, sem estar esperando, um e-mail que me lembra em que etapa devo estar no meu projeto financeiro, por exemplo.
Para quem trabalha com uma agenda muito cheia, pode servir também como um lembrete para compromissos importantes. Por exemplo, você pode enviar um e-mail te lembrando que o prazo para entregar aquele projeto termina amanhã, ou dizendo em que fase você deve estar hoje.
´Tem vários usos, mas eu gosto de abrir o e-mail e ler algo assim: "Já se passaram seis meses desde que resolvi organizar toda minha vida e é hora de reavaliar..." Isso sempre me instiga a continuar e a planejar mais e mais a minha vida.
Fica a dica... vale a pena experimentar!

terça-feira, 9 de outubro de 2012

Meu aniversário

Hoje é meu niver... 42 anos! Meu Deus, como é difícil dizer quarenta-e-dois! Ok, me sinto com 28 e já faz tempo! Vou continuar assim! hihihi.
Estou feliz: prestes a receber o melhor presente de todos- o meu filhotinho!!!!
Profissionalmente não estou ainda onde gostaria de estar, mas  também nunca me liguei tanto nessa busca frenética por sucesso profissional. Sempre quis ter um trabalho que fizesse sentido, pagasse as contas e me desse alguma estabilidade. Tudo isso eu tenho.
Afetivamente as coisas estão em uma fase mais tranquila (mentira- estou fervilhando!!!), meu relacionamento está mais leve e a chegada do nosso bebê tem nos dado muita alegria.
É lógico que nem tudo são flores, temos nossos problemas, nossa rotina mega exaustiva, nossa falta de tempo para fazer coisas legais e saudáveis...
Enfim, apesar de querer mudar para uma vida melhor, o fato é que estou feliz, muito feliz nesse momento da minha vida.
E só tenho a agradecer: Obrigada Deus! Obrigada família e amigos!

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Avaliando minhas metas financeiras

Em setembro do ano passado quando comecei o blog, fiz um planejamento de várias mudanças para minha vida, que incluíam adquirir hábitos saudáveis (comer fruta etc), organizar a casa e organizar as finanças.
Ao longo deste um ano fiz muitas coisas, muitas mesmo!
Em fevereiro cheguei na etapa das finanças, mas nem tudo saiu como planejado... minhas metas financeiras foram derrubadas pela fatalidade do roubo do carro, mas agora estou me reerguendo, aos poucos, com dificuldade e bastante desânimo, mas tenho conseguido alguns avanços!
Só para relembrar: As metas foram divididas em curto, médio e longo prazos...


Longo Prazo: TRABALHAR APENAS NO CONSULTÓRIO. Prazo: 5 anos

Médio prazo      Prazo: 2 anos e ½                                                     
  • Quitar dívidas maiores (apartamento e carro)
  • Quitar todas as dívidas pendentes
  • Investir mais no consultório
Curto prazo     Prazo: 3 meses
  • Organizar planilha financeira,  planejando os passos seguintes
  • Cortar gastos, diminuir pagamento de juros
  • Negociar todas as dívidas pendentes
  • Poupar: inicialmente 10% da minha renda, depois a quantia suficiente para  concluir os objetivos de médio prazo
  • Criar estratégias de ampliação do meu trabalho no consultório: ver convênios e cursos
Avaliando:
  • Atingi as metas de curto prazo dentro do prazo. Já havia poupado bem mais do que o previsto mas tive que investir tudo na compra de um novo carro e agora preciso recomeçar! O bom de tudo isso é que, graças à minha organização - quase xiita- consegui poupar quase o suficiente para suprir essa emergência. Sei que não teria conseguido dar a volta por cima se não fosse isso!
  • No meio do caminho surgiu Gabriel... Resolvi que nos meses de agosto a dezembro minha prioridade financeira seria comprar o enxoval, reformar o quarto, decorar e comprar os móveis do meu filhotinho. E é isso que estou fazendo! Como ainda tenho algumas pendências da compra do novo carro (um pequeno empréstimo), estou fazendo alguns malabarismos para conseguir pagar as contas do mês + as contas extras + tudo o que se refere à chegada do bebê. Confesso que não está sendo muito fácil, mas vou equilibrando as coisas da melhor maneira possível. A ajuda da família tem  sido super importante (tanto os milhares de presentes, quando a ajuda na compra do carro). 
  • A ideia agora é voltar a poupar a partir de dezembro e em janeiro fazer uma nova simulação de amortização do apartamento. 
  • A quitação do carro (roubado!) não será possível, vou tentar replanejar, possivelmente para final de 2013 (um ano antes de terminar o financiamento), mas isso não tenho como organizar por enquanto.
  • O investimento no consultório está acontecendo, mas lentamente. Aumentei 1 período na semana e chegaram mais alguns pacientes, porém ainda é pouco, minha expectativa é aumentar, em média 50% no próximo ano. Por enquanto estou "fechando para balanço", afinal o bebê nasce em 2 meses e não seria prudente começar um atendimento novo agora, que será interrompido em breve.
Bem, agora é manter um mínimo de organização até conseguir voltar a poupar!

Quinze minutos de organização

Por mais que sempre digamos que não temos tempo para tudo, quando priorizamos algumas coisas é possível manter "uma certa organização".
Hoje eu estou mega estressada com o fato de estar (de novo) sem faxineira; então vim em casa na hora do almoço e coloquei o timer em 15´ e neste tempo fiz o seguinte:
- tirei e dobrei a roupa do varal;
- tirei a roupa de cama e coloquei para lavar;
- dei mais uma lixada no móvel que estou reformando;
- coloquei o almoço para esquentar no microondas e
- liguei o computador e enviei um e-mail urgente.

Ufa! Preciso continuar nessa vibe e limpar a casa hoje à noite, depois que retornar do trabalho... Agora preciso ir, já estou quase atrasada!

terça-feira, 2 de outubro de 2012

A vida está passando rápido demais?

Outro dia era janeiro e já estamos quase no final do ano... Esta frase eu escuto todos os dias (e falo também). Parece que o tempo está passando muito mais rápido e, na verdade, está mesmo. Quando reflito sobre isso, penso sempre no concreto e nego minha própria sensação: não! o dia continua tendo 24 horas, o mês 720 horas e o ano 8760 horas!!! Mas a questão não é que os dias diminuíram de tamanho; a questão é o quanto de coisas que estamos colocando em um dia - não cabe, não cabe e não cabe!!!
Outro dia escrevi uma coisa engraçada para justificar meu cansaço. Era mais ou menos assim: "Dormi por 8h, tomei banho e me arrumei por 1 hora, fiquei 2 horas no trânsito, trabalhei por 10 horas, cuidei da casa por 1 hora, naveguei na net por meia hora, assisti tv por meia hora, resolvi problemas por  15 minutos, falei com minha família e amigos por meia hora, paguei contas por 10 minutos e namorei...  por 5 minutos!!!!!"
Agora estou pensando que terei que acrescentar mais uma tarefa: ser mãe. E aí, a coisa vai ficar ainda mais complicada!
Isso é só uma piadinha, mas não é muito diferente da rotina da maioria de nós.
A verdade é que a vida moderna vai nos consumindo, sem sequer percebermos. No meu exemplo, a internet, a tv, as muitas horas no trânsito, a dupla jornada... tudo isso faz parte da vida moderna, da vida que temos. Mas...
Será que temos como mudar essa dinâmica?
Será que temos como encontrar mais tempo para coisas saudáveis?
Eu estou em busca dessas respostas!


segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Outubro... primavera e mais organização!

Eu já disse o quanto amo a primavera (as cores, as flores, o cheiro...). E este mês ainda tem um gostinho a mais- meu aniversário e da maioria das pessoas da família (mãe, irmã, sobrinha, amigas, namorido). No ano passado não comemorei muito, porque estava muito mal, por várias questões. Mas neste ano, estou muito feliz e quero comemorar tudo a que tenho direito!!!
Aproveitando esse clima legal e a proximidade da chegada do nosso bebê, estou concluindo todos os meus projetinhos de organização, conforme já falei anteriormente.
Na verdade tinha um monte de coisas que eram para estar concluídas em setembro, mas como tive que adiar a pintura do apartamento e demorei para encontrar um tapeceiro, o que tornou minha casa um caos, não tive a menor disposição para costurar ou pintar os móveis que havia me proposto.
Bom, agora que o ap já está (mal) pintado e já me estressei com  o pintor por dois dias- afinal, minha resolução desde que engravidei foi: não me estressar com nada nem ninguém por mais de 2 dias!- é hora de retomar meu cronograma.
Repassando...
Em julho (minhas férias) destralhei a casa. Foi um momento muito especial, já que organizei as contas, doei muita coisa, limpei os ambientes, encontrei coisas perdidas há séculos! Fiz todo o cronograma para a espera do bebê, iniciei a compra do enxoval e dos tecidos para a decoração. Minhas sobrinhas me ajudaram a fazer o check list do enxoval e programamos os acessórios do quartinho dele.
Agosto:  foi um mês difícil (fiquei muito mal com o roubo do meu carro e minha rotina ficou muito comprometida ao ter que andar de ônibus). Planejei a pintura do apartamento (que teve que ser adiada), fiz contato com dezenas de tapeceiros ( e descobri que esse tipo de mão-de-obra está em extinção).
Setembro: comprei os tecidos que faltavam, fiz uma lista de todos os acessórios, programei todos os gastos com a pequena reforma e finalmente as coisas começaram a ser executadas. Resultado: não tenho onde sentar- levaram meus sofás!!!! mas não me estressei mais do que dois dias hahaha!

Enfim chegou Outubro!!!
E aí vai minha lista de (muitas) tarefas:
1. Reformar a mesa/bancada que era do ateliê e agora será do quarto do bebê
2. Reformar o móvel da tv
3. Montar os quadros da sala (já fiz um, mas ainda faltam alguns)
4. Fazer uma faxina "pesada" - item difícil, já que estou, mais uma vez sem faxineira!
5. Ir à caça de uma nova faxineira
6. Comprar tapetes (sala e quarto do bebê)
7. Limpar o armário do meu quarto - está fácil, já que é só limpar e arrumar: já me desfiz de tudo em setembro
8. Rever minhas metas financeiras - que fizeram um ano!
9. Terminar minhas almofadas
10. Terminar as cortinas do quarto do bebê
11. Organizar o quartinho de "bagunça" - que passou a se chamar assim depois que coloquei tudo lá dentro, para pintar o apartamento e não consegui organizar nada ainda.
12. Decidir se irei ou não fazer chá de bebê
13. Decidir se iremos viajar em novembro


domingo, 30 de setembro de 2012

Inspiração: Salas lindas e coloridas

Estou cansadíssima e pesadíssima, mas apesar disso, curtindo muito a organização da casinha. Resolvi, como já falei aqui, pintar o apartamento e ainda falta muuuuito para organizar as coisas...
Mas não vou falar do meu estresse, mas sim, de decoração leve e refrescante, como deve ser a primavera!
Separei muitas fotos da net, que serviram de inspiração para minha próxima decoração, que estarei concluindo nos próximos dias...
O "refrescante" ficará por conta da base branca (paredes e sofás) e dos acessórios azuis, que já estou fazendo. Talvez eu use uma pitadinha de verde, mas ainda não achei tecidos.
Olha só quanta inspiração...

essa manta é a minha cara! E esse tom de azul é de suspirar

 aqui o encanto das almofadas!!!
 essa sala de jantar é linda... eu queroooo!
 um pouco branco demais, mas os moveis são lindos! Ei colocaria mais cor nos acessórios...

 Essa é a sala dos meus sonhos... lindona!
 aqui os acessórios e as almofadas dão uma vida incrível ao ambiente

 sofá azul claro eu nunca pensei... mas ficou lindo!
 sala enorme... sonho de consumo!
 que sonho!

 azul com marrom... chique demais!
 sem comentários!
 esse verde aí ó... eu quero!
 um pouco náutico demais, mas gostei do tom rústico
coloridinha, sem ser cansativa!

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

E se... você ganhasse 100 mil reais hoje?

Terminei o post anterior falando disso: criar uma situação hipotética, para tentar coletar dados para nosso planejamento. É uma técnica gostosa, porque trabalhamos de maneira lúdica com nossa fantasia e ainda teremos constatações a respeito de nossos projetos. Na casa da minha família, quando nos reunimos e a mega sena está acumulada, ficamos viajando com todas as possibilidades do que faríamos com todo aquele dinheiro. É engraçado e dá para saber um pouco sobre o que cada um deseja, mesmo que seja apenas dos desejos de consumo.
Se eu ganhasse mil reais extras hoje, por exemplo, eu correria pra uma loja de bebê e compraria um montão de coisas (ai que delícia!), porém, se eu ganhasse 100 mil reais, os meus desejos iriam muito além do consumo. Não vou repetir o que faria, porque já escrevi, mas tenho clareza de que organizaria meu futuro, daria mais segurança à minha família e poderia replanejar minha rotina de trabalho. É lógico que eu compraria "umas coisinhas" também, afinal ninguém é de ferro (hehehe), mas eu sei o quanto é importante neste momento da minha vida, investir na segurança e no futuro.
Fiquei matutando essa pergunta a semana toda e tive um insight bem interessante: Esse meu valor hipotético é muito próximo daquilo que eu precisaria poupar nos próximos dois anos, para cumprir minhas metas e alcançar meus objetivos.
Então agora, preciso começar a pensar em como atingir esses objetivos!!!


domingo, 16 de setembro de 2012

Uma reflexão sobre estilo de vida (ou como guardar dinheiro)

Eu estava lendo um post do blog "papo de homem" outro dia e fiquei pensando muito... Falava de pessoas que reclamavam de nunca terem dinheiro (e invejavam o amigo que vive com pouco). Essas pessoas falavam dos gastos que tinham com a prestação da casa, com a escola dos filhos, plano de saúde etc. O seu interlocutor, ao contrário, vive de maneira muito mais livre, por que fez esta escolha para sua vida. Enfim, este relato me fez pensar em minhas escolhas e naquelas que ainda vou fazer.
Já passei por várias fases (como todo mundo, óbvio!). Já houve tempo em que eu economizava além do saudável e, embora eu tivesse um meta muito clara - comprar meu primeiro apartamento e me casar- cheguei à conclusão de que não valia a pena esse sacrifício extremo. Depois disso passei a viver de maneira mais livre, porém sem grana nenhuma, foram momentos difíceis, com os quais aprendi mais do que tudo na vida. Curtia a vida com meus amigos, fazia de uma macarronada, uma festa, e assim, ia criando condições para sobreviver com um salário que só dava para o aluguel e a faculdade. Me orgulho de ter sobrevivido e aprendido com isso. Hoje, quando olho para tudo o que conquistei e que ainda estou conquistando, sinto orgulho, mas principalmente, sei o quanto é possível sobreviver com menos, sem ficar amargurada. O que quero dizer é que hoje não tenho medo de voltar a viver de maneira humilde, porque sei que isso não é o fim do mundo.
Nos anos seguintes passei por várias fases em que dinheiro era só para gastar, confesso que foi bom, mas me arrependo dos "exageros" nas baladas e nas viagens, me arrependo de algumas outras coisas dessa época, em que não planejava nada- apenas vivia. Sei que foi minha adolescência tardia, que precisava ser vivida e que foi importante para o meu amadurecimento nos anos seguintes. Foi bom viver esse momento "porra loca" para que eu pudesse centrar novamente.
Hoje, tenho uma "certa" estabilidade, que sei que poderia ser bem maior se eu tivesse planejado melhor os últimos dez ou quinze anos da minha vida.
Hoje acordei com uma pergunta, que pode me dar uma dica de onde quero chegar de agora em diante: O que eu faria hoje se ganhasse (na loteria ou caísse do céu!) 100 mil reais?. A resposta é bastante simples: quitaria o apartamento, pagaria integralmente o carro que foi roubado e faria uma poupança para a educação do meu filho. Com o que restasse eu terminaria a organização/ reforma da minha casa e ficaria livre para decidir pela demissão de um dos empregos (já que minhas grandes dívidas estariam quitadas).
Pronto, uma perguntinha fantasiosa serviu para me dar a real dimensão de quanto preciso para me sentir confortável e livre. Talvez para quem está lendo pareça esquisito planejar a partir de uma "fantasia" de ganhar uma grana assim, do nada, mas eu explico: às vezes precisamos de situações hipotéticas para construirmos um raciocínio lógico. É uma técnica que sempre utilizo com  bons resultados (inclusive na prática clínica). Essa pergunta: E se ... serve para nos colocarmos lá na frente, na hipótese de alguma coisa acontecer e pensarmos nas variáveis e nas saídas que encontraríamos. 
Bom, dadas as devidas explicações, preciso pensar em como, de fato, chegar a esse valor, hoje apenas hipotético! Vale a pena fazer o exercício: perguntar-se  o que faria se algo (bem concreto) lhe acontecesse e escrever suas respostas a partir dessa reflexão. Sonhar é preciso!!!